Como as células se Renovam.

Imagem

As células de alguns de nossos órgãos não param nunca de se renovar. Conheça alguns hábitos que podem acelerar ou retardar esse envelhecimento

Nascer, crescer, envelhecer e morrer. Este é o ciclo da vida, desde que o mundo é mundo. Mas, todos os dias, médicos e pesquisadores de vários países trabalham, incansavelmente, na esperança de prolongar a saúde e o bem-estar do ser humano.
A “idade verdadeira” (ou biológica)de um indivíduo nem sempre é compatível com os anos vividos. Tudo depende dos bons (e maus!) hábitos que cada pessoa adota para si ao longo da vida.

Existem maneiras muito simples e eficazes de manter os órgãos que compõem o nosso corpo jovens por muito mais tempo. Praticar atividade física, controlar o nível de estresse e fazer bons amigos são apenas alguns dos 141 fatores que afetam o ritmo do nosso envelhecimento. Quem começa a se cuidar muito cedo pode chegar a ter 20 anos a menos do que no calendário.
Renovação de cada célula

O tema já é estudado há muito tempo pelas pesquisadoras Eliana Guimarães Pyhn e Maria Lúcia dos Santos. Autoras do livro Idade biológica – comportamento humano e renovação celular (Senac), elas explicam que o corpo humano é formado por cerca de 100 trilhões de células, que se dividem continuamente, permitindo que células velhas sejam substituídas por outras, mais novas. E, graças a esse processo, é que órgãos como coração, fígado e pulmão podem desempenhar adequadamente as suas funções por muito mais tempo.

A ciência mostrou que as células dividem- se por um determinado número de vezes. A partir de um dado momento, essas divisões vão se tornando mais lentas, até cessarem de vez. É aí que tem início o envelhecimento do órgão.  Pesquisas revelaram que, embora haja um limite para a divisão celular, isso não é absolutamente rígido. Pelo contrário. Esse processo pode ser antecipado ou retardado, e isso está diretamente ligado a atitudes individuais.
Por exemplo: há alimentos que desempenham papel rejuvenescedor, como vegetais, ricos em antioxidantes, e outros, função degenerativa, como os industrializados. Os aditivos químicos deles encurtam o tempo de vida das células.

Ossos

Idade verdadeira: 10 anos Função: Material duro e resistente que contém cálcio e forma o esqueleto do corpo humano. Dão proteção aos frágeis órgãos internos do crânio e do tórax, e flexibilidade aos membros superiores e inferiores. 

Curiosidades: O esqueleto de um adulto tem 206 ossos! O menor deles é o estribo, que mede entre 2,5 e 3,4 milímetros, e o maior, o fêmur, em torno de 50 centímetros.

Como mantê-los mais jovens: “É possível retardar o envelhecimento dos ossos com a ingestão de cálcio e vitamina D”, recomenda Salo Buksman, do Instituto Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia. “A prática de atividades físicas, principalmente as que oferecem algum tipo de impacto no solo, também estimulam a formação óssea.”

Coração

Idade verdadeira: 20 anos Função: garante a todas as células vivas do organismo a chegada de sangue rico em oxigênio e nutrientes. 

Curiosidades: O coração de um adulto tem cerca de 12 cm de comprimento por 8 ou 9 cm de largura. 

Como mantê-lo mais jovem: Pratique esportes, adote uma dieta saudável e não fume. “Quando a pessoa consegue parar de fumar, em um ano 50% dos malefícios causados pelo cigarro são interrompidos”, avisa Marcelo Assad, do Instituto Nacional de Cardiologia.

Olhos

Idade verdadeira: Igual à cronológica Função: Transforma raios de luz em um padrão de impulsos nervosos que são transmitidos ao cérebro e interpretados. 

Curiosidades: O músculo que mais trabalha no corpo é o ocular, responsável pelo movimento dos olhos. Eles se mexem mais de 100 mil vezes por dia! 

Como mantê-los mais jovens: “Da mesma forma que você protege a pele com protetor solar, você precisa proteger os olhos com óculos escuros.”, alerta Luiz Carlos Portes, da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. “O ressecamento favorece o envelhecimento das células dos olhos.”

Cada órgão com sua idade

O processo de renovação celular varia de órgão para órgão. Os tecidos do nosso corpo não são todos iguais. Portanto, não são todos que necessitam de renovação celular para terem êxito em suas metas, observa Valle, citando o exemplo do tecido muscular, responsável pela contração muscular, preservação da postura e produção de calor, entre outras. As células desse tecido não se renovam nunca.

Já os tecidos da pele, da córnea e o de tantos outros que revestem a superfície de órgãos, como estômago, intestino e pulmão, por exemplo, necessitam de alta renovação celular para funcionarem. Segundo o médico, as células do intestino estão entre as que se renovam mais rapidamente. “Num prazo de 2 a 5 dias, são substituídas por células novas”, afirma.

A idade verdadeira de um indivíduo depende da renovação celular de cada órgão

O que acelera esse processo

Por outro lado, ressalva Álvaro Piazzetta Pinto, diretor da Sociedade Brasileira de Citopatologia, algumas células se renovam com menos frequência, como é o caso das células dos rins, enquanto outras nunca se renovam, como acontece com os neurônios. “Todos os órgãos envelhecem gradativamente à medida que o nosso relógio biológico funciona. Eventualmente, alguns órgãos ou tecidos podem sofrer agressões e ter o seu processo de envelhecimento acelerado. O sol e o álcool são exemplos de agentes agressores, que podem acelerar o envelhecimento das células da pele e do fígado”, salienta.

Mas por que as células do corpo humano envelhecem e morrem??? Quem explica é Maria Lúcia dos Santos. “Do ponto de vista genômico, a ciência já demonstrou que os cromossomos têm uma porção terminal chamada telômero. A cada divisão celular, o telômero perde uma pequena porção de sua extremidade e vai encurtando. Quando ele atinge determinado tamanho, cessa a divisão da célula e o envelhecimento começa.”

Programação genética

Permanecer jovem por mais ou menos tempo depende da fisiologia de cada órgão e do tempo de vida médio de suas células. “O bom funcionamento de todos os órgãos do corpo depende de sua programação genética, que é intrínseca a cada indivíduo. Apesar de alguns órgãos apresentarem altas taxas de renovação celular, é importante dizer que o processo vai diminuindo, e se tornando mais lento e difícil”, pondera Luiz Eurico Nasciutti, professor do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Entre tantos órgãos, Bernardo Valle afirma que, se fosse possível escolher de qual deles deveríamos cuidar melhor, certamente os premiados seriam o coração e os pulmões: “Não que os outros órgãos sejam menos importantes. Mas por um simples dado estatístico. As três principais causas de mortalidade no mundo atual e nos próximos 20 anos são decorrentes do comprometimento desses dois órgãos: as doenças cardiovasculares, como o infarto agudo do miocárdio; as neoplasias (cânceres), o de pulmão é apontado como a primeira causa de mortalidade em homens e mulheres, e a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)”.

Cérebro

Idade verdadeira: Idêntica à cronológica Função: Recebe, seleciona, interpreta e armazena sensações dos nervos que se estendem a todo o corpo. 

Curiosidades: O cérebro humano pesa em torno de 1,4 kg e contém cerca de 500 bilhões de neurônios.

Como mantê-lo mais jovem: “Evite fatores de risco que aceleram o envelhecimento dos neurônios, como colesterol, fumo, sedentarismo e álcool”, enumera Ivan Okamoto, da Associação Brasileira de Neurologia.

Pulmão 

Idade verdadeira: 2 a 3 semanas Função: Permite a entrada e a absorção de oxigênio e a eliminação de dióxido de carbono (CO2) pelo corpo. 

Curiosidades: Os pulmões comportam cerca de 5 litros de ar, mas apenas meio litro é renovado a cada respiração. 

Como mantê-lo mais jovem: “O pulmão tem um processo de envelhecimento que pode ser acelerado pela exposição prolongada a fatores de risco, como poluição, tabagismo e doenças crônicas”, diz Roberto Stirbulov, da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

Fígado

Idade verdadeira: 5 meses Função: Produz proteínas para o plasma do sangue, armazena glicose e regula os níveis de aminoácidos. Em conjunto com os rins, limpa os resíduos metabólicos do sangue. 

Curiosidades: “Depois da pele, o fígado é um dos órgãos com maior capacidade de renovação. Pode-se dividir o fígado de um doador e transplantá-lo em dois receptores”, afirma Mário Guimarães Pessoa, da Sociedade Brasileira de Hepatologia.

 

Bibliografia

http://lulu-lulucha.blogspot.com.br/2011/04/como-as-celulas-se-renovam.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s